domingo, 6 de novembro de 2016

MUITO PRAZER, EU SOU A NOVA ‘NOVA ORDEM MUNDIAL’

E, sim, eu cheguei para evitar o suicídio do Ocidente.

Por Christina Fontenelle
06/10/2016 

Há cerca de 6 anos, houve uma ruptura no grupo de magnatas mundiais, donos das maiores corporações empresariais de todos os ramos de negócios, que pretendiam concretizar o projeto da Nova Ordem Mundial (grupo que acabou por levar o nome do próprio projeto: NOM ou NWO, em inglês). Projeto de dominação do mundo, que formaria uma aldeia global dividida em blocos continentais, sob um governo mundial aos moldes comuno-fascistas. Lógico, o poder ficaria nas mãos daqueles magnatas e cada bloco (União Européia, União das Repúblicas Socialistas da América Latina, etc) passaria a desempenhar papel específico, econômica, política e socialmente, segundo as determinações daquele grupo de poder.


Abaixo, um quadro aproximado de quais viriam a ser tais blocos.


A maior e mais importante barreira encontrada para a implantação de tal projeto eram os valores sociais e morais judaico cristãos, pilares da sociedade ocidental, porque estes valores e costumes prezam o indivíduo, sua liberdade (livre arbítrio) e sua ‘semelhança’ com o Deus criador. Toda a civilização ocidental e seu desenvolvimento, que caminhou sempre para buscar aprimorar as relações mais harmoniosas e justas possíveis entre os seres humanos, basearam-se nestes valores. Para destruí-los, e, portanto, tal civilização, o projeto da NOM associou, aos poucos, os magnatas aos comunistas e aos jihadistas muçulmanos, também inimigos do Ocidente e de sua cultura. O maior "laranja" de todos os tempos, o senhor George Soros, foi o agente que tinha por trás de si os sauditas, as máfias governamentais chinesa e russa, e, claro, alguns dos maiores magnatas do planeta.

Reengenharia social (gayzismo, feminismo, ideologia de gênero, abortismo etc) e mentiras globais, como o aquecimento global, foram as principais estratégias usadas para que o projeto pudesse vir a ser bem sucedido. Levar aos governos dos países representantes do califado e do socialismo foi imprescindível para que aquelas estratégias fossem aplicadas com sucesso. Mas, sempre souberam que chegaria o dia em que comunistas e jihadistas brigariam entre si e contra os próprios magnatas pelo poder sobre o grande império mundial. Chegou bem mais cedo do que imaginavam e com um agravante – os magnatas não tinham ainda o poder que deveriam ter sobre o Ocidente. Os comunistas, liderados por Putin, e os senhores do califado, através de seu principal braço armado – a Irmandade Muçulmana + Estado Islâmico - saíram do controle. Cresceram em território e em poder, inclusive bélico (financiados pelos próprios magnatas).

A ampla ascensão da esquerda em toda a América Latina, por meio do projeto comunista do Foro de São Paulo; a falsa Perestroika russa (que supostamente teria instaurado naquela terra um regime democrático eleitoral); a também pseudo abertura econômica da China (ainda que claramente sob o regime de um único e poderoso partido político); a Primavera Árabe e a expansão do Estado Islâmico; a consolidação da União Européia e a criação do Euro; entre tantos outros eventos de grande impacto mundial – tudo obra e graça da NOM.

Então, aconteceu o racha dentro da NOM. Parte do grupo decidiu insistir no projeto suicida. Soros e gente muito poderosa do partido Democrata americano, como Obama e os Clinton, por exemplo, fazem parte deste grupo. Outra parte da NOM optou por abortar o projeto na linha que vinha seguindo e fundar um outro, seguindo outra estratégia. Surgiu a Nova Nova Ordem Mundial (NNOM ou NNWO, em inglês), que foi a responsável pelo ressurgimento da direita e do conservadorismo no mundo.

O enorme crescimento do conservadorismo nos meios virtuais de comunicação (sim, os conservadores e a direita dominam com larga vantagem o mundo virtual), o aparecimento de inúmeros movimentos conservadores populares por todo o mundo, a crescente conquistas de espaços em universidades, na política, e em tantos outros setores ora exclusividade da esquerda – tudo isso é um fenômeno mundial e é consequência direta do surgimento desta NNOM. Donald J Trump, nos EUA e Jair Messias Bolsonaro, no Brasil, são apenas dois dos exemplos da nova geração de políticos que vem por aí. A saída do Reino Unido da União Européia e a mais recente denúncia da Unesco sobre a situação ditatorial na Venezuela também são outros sintomas dessa transformação que está por vir.


O fim das armadilhas acorrentadoras e lucrativas (para os magnatas da antiga NOM) da teoria mentirosa do aquecimento global provocado pelos homens; o total afastamento do aprisionador discurso politicamente correto; o desmantelamento das mentiras sobre dívidas históricas de raças com outras raças; o desmascaramento dos planos comunistas e do califado para dominar o mundo e destruir o Ocidente – tudo isso virá ficando evidente com mais e mais força, revelando a verdade para um mundo cheio de pessoas enganadas.

Mas, por que aconteceu esse ‘racha’ dentro da antiga NOM? Porque os dissidentes são pessoas boazinhas que colocaram as mãos nas consciências? Não.

Foram duas as razões básicas para que essa ruptura acontecesse. A primeira delas diz respeito ao tempo. Tempo que demorou e que demoraria mais ainda para concretizar todo o projeto de reengenharia social.

A segunda foi a questão da evidente ameaça ao desmantelamento de toda a infraestrutura e do desenvolvimento tecnológico alcançado até agora, quase que exclusivamente construído pelo Ocidente. Sempre foi do interesse da NOM destruir pessoas, famílias e aniquilar valores que constituíram as bases fundamentais da civilização ocidental, do Ocidente, porém, jamais, em tempo algum, cogitou-se ou se pretendeu destruir as bases de infraestrutura e de desenvolvimento científico-tecnológico incrível e unicamente alcançado por esta civilização. De que valeria dominar um mundo destruído e hostil à sobrevivência humana, principalmente sem acesso ao luxo e ao conforto proporcionados pelo desenvolvimento já alcançado?

A partir do momento em que toda esta estrutura já estabelecida se viu sob a mais que previsível ameaça de futura destruição, por meio do avanço do terrorismo e da crescente ameaça de guerra nuclear/biológica/eletromagnética por parte de países comunistas, aconteceu o racha dentro do grupo que dava andamento ao projeto da NOM. Parte do grupo decidiu insistir no projeto suicida. Soros e gente muito poderosa do partido Democrata americano, como Obama e os Clinton, por exemplo, fazem parte deste grupo. Outra parte da NOM optou por abortar o projeto na linha em que vinha seguindo e fundar um outro, seguindo outra estratégia. Surgiu a Nova Nova Ordem Mundial (NNOM), que foi a responsável pelo ressurgimento da direita e do conservadorismo no mundo.

Os comunistas passaram a ameaçar o Ocidente com uma guerra de grandes proporções a partir do momento em que imaginavam ter o domínio sobre a maior Zona de Retaguarda do planeta – a América do Sul, principalmente com os países que estão ‘para cá’ da muralha andina. Com quase todo o continente governado pelo por membros do braço comunista latino-americano, o Foro de São Paulo, fundado nos anos 90, por Lula e por Fidel Castro, a Rússia, principalmente, achou que poderia acelerar seus planos de destruição dos EUA e de parte da Europa (já invadida pelos parceiros muçulmanos do Califado). E tudo isso com pleno apoio do governo ideologicamente fiel ao projeto da NOM comunista de Obama/Hillary Clinton. Ou vocês não sabiam dos planos da NOM/Rússia de dominar os EUA por dentro e através das fragilidades do sistema democrático? (https://www.youtube.com/watch?v=iK4kZSU-5Cg).

Não sabe o que é Zona de Retaguarda? Leia e/ou ouça nestes links:

Não sabe o que é o Foro de São Paulo? Leia e/ou ouça nestes links:

Acontece que este domínio não era real, além de ser frágil. Resultado da precipitação das garras comunistas sobre o continente latino americano? O Paraguai livrou-se de um governo comunista e, de lá para cá, vem se desenvolvendo assustadoramente; a Argentina mandou a Kirshner passsear; o Brasil tirou o PT do poder, apesar de não ter se livrado da ameaça populista e Fabiana; o povo da Colômbia rejeitou o acordo de paz e anistia com os comuno-narco-guerrilheiros das FARC; e a Venezuela voltou às ruas... E vem muito mais por aí.

As coisas ainda estão confusas para que compreendamos para que lado o mundo, os EUA e o Brasil irão. E assim estão pelo simples fato de que estamos vivendo no meio de uma guerra acirrada, nestes lugares particularmente, para a ocupação de espaços. São batalhas diárias; jogadas estratégicas de todos os lados envolvidos nesta guerra. Ora um lado vence uma batalha, ora o outro. Mas, o fato é que a guerra está vencida, lá na frente. E os comunistas sabem que não serão eles os vencedores.

Atentem: quando Putin alardeia estar lutando contra a Nova Ordem Mundial, refere-se à Nova NOM. Quando Donald Trump declara guerra contra a NOM, refere-se, por sua vez a aquela antiga NOM.

Enfim, por uma questão de sobrevivência do Ocidente como o conhecemos hoje, entra em cena mais este componente na disputa pelo poder. É a Nova Nova Ordem Mundial, também formada por grandes corporações, mas que, pelo menos pelos próximos 30 anos, estará aliada aos homens que querem viver livres, em paz e em regimes democráticos aperfeiçoados. Ainda é muito cedo para definir com precisão quem são os homens, as corporações e as instituições que estão por trás deste novo componente. Eu desconfio de alguns, de outros tenho certeza, mas ainda é cedo e imprudente citá-los nominalmente.

Dependerá dos futuros governantes do Brasil colocar o país no patamar de parceiro consciente de sua extrema importância como Zona de Retaguarda. Um país que precisará se comportar como parceiro fundamental e indispensável das forças ocidentais – e não mais como mero coadjuvante vítima de governantes que se comportam como serviçais, enriquecendo a si e aos amigos, jogando nosso país e nosso povo no eterno ‘em desenvolvimento’.

Links interessantes e relacionados:

11 comentários:

Enio Fontenelle disse...

Texto maravilhoso, Christina. Uma visão estratégica digna de uma medalha.

paulo cruz disse...

Sem palavras. Todos texto serve de "bússola". Basta ficarmos quietos, acompanhando, diariamente, os fatos!

vera lúcia Steim disse...

O planeta está passando por uma digamos "peneirada". A Nova Era já está acontecendo desde o inicio desta década.chegou a hora do povo fazer a escolha: o caos ou a paz.

vera lúcia Steim disse...

O planeta está passando por uma digamos "peneirada". A Nova Era já está acontecendo desde o inicio desta década.chegou a hora do povo fazer a escolha: o caos ou a paz.

Mariano disse...

MUNDO ALIENADO: Para ser menos enganado neste mundo é preciso ter conhecimento de base obtido através das fontes primárias, ou seja, conhecer bem os fundamentos das coisas e de como elas funcionam para ter ideia da natureza de cada situação. Como vivemos em um mundo promíscuo pela própria natureza, maltratado e alienado em suas bases, verdades e mentiras se misturam a ponto de confundir quase todos, principalmente a maioria que não tem conhecimento fundamentado, onde certas mentiras deslavadas contém algumas verdades para dar credibilidade, como também em certas verdades contém mentiras embutidas no contexto, com propósitos definidos.

Mariano disse...

TERCEIRO MILÊNIO: Nesse início turbulento do terceiro milênio com grandes e profundas mudanças em andamento no mundo, o processo de globalização entre os países emergentes, não emergentes e os países do primeiro mundo está em um momento de plena ebulição econômica, social, religiosa e geográfica. Dessa miscelânea toda de múltiplos interesses, forças e poderes, emergirá o mundo real das próximas gerações.

Zelia Toledo disse...

Parabéns. Texto incrível. Extremamente bem explicado. E , por isso, facilmente entendi El mesmo em face da complexidade da matéria. Obrigada. Será muito útil.

MR PHP7 disse...

TExto Sensacional.

MR PHP7 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vitor Marcolini disse...

ESTE TEXTO MUITO BEM EXPLICADO.....REALMENTE QUEM TIVER UM POUCO SÓ DE VISÃO PODE OBSERVAR OS FATOS QUE V~EM OCORRENDO.

al lund disse...

Parabéns pela brilhante leitura do atual momento mundial. Muito didático e esclarecedor.